sábado, 6 de fevereiro de 2016 | |

O necessário resgate do jornalismo

Ao ler um texto sobre o anunciado fim da revista “Playboy”, deparei-me com uma interessante análise sobre o jornalismo de ontem e de hoje e a flagrante perda de qualidade da imprensa (salvo uma ou outra exceção).

O texto – assinado por Humberto Werneck e publicado do “Estadão” – vai ao cerne da questão: faltam hoje nos veículos os requisitos básicos do jornalismo. Eles caíram na armadilha da lógica de Tostines, mas ao avesso: baixaram a qualidade para economizar e viram suas receitas despencarem pela perda de qualidade – que levou à fuga dos leitores.

Eis o breve e certeiro diagnóstico de Werneck:

Não sei se a imprensa em papel vai sobreviver. Estou certo, porém, de que não fará falta se não trouxer o que hoje anda em baixa: informação de primeira ordem muito bem tratada. 

Análise semelhante fez o jornalista Carlos Alberto Di Franco também em “O Estado de S. Paulo”:

(...) Fustigado pelo protagonismo da internet, o jornalismo foi raptado pela perda de qualidade do conteúdo, pelo perigoso abandono de sua vocação pública e pela sua equivocada transformação em produto mais próprio para consumo privado. Impõe-se  resgatar o entusiasmo do “velho ofício”. É urgente investir fortemente na formação e qualificação dos profissionais. (...) 

A sobrevivência dos meios tradicionais demanda foco absoluto na qualidade de seu conteúdo. (...)
 

A revalorização da reportagem e o revigoramento do jornalismo analítico devem estar entre as prioridades estratégicas.
 

É preciso atiçar o leitor com matérias que rompam a monotonia do jornalismo de registro. Menos aspas e mais apuração. (...)
 

Apostar em boas pautas - não muitas, mas relevantes - é uma saída. É melhor cobrir magnificamente alguns temas do que atirar em todas as direções. O leitor pede reportagem. O lugar do repórter é na rua, garimpando a informação, prestando serviço ao leitor e contando boas histórias. Elas existem. Estão em cada esquina das nossas cidades. É só procurar. (...)

0 comentários: